Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

atlas de bolso

travel blog

Seg | 03.12.18

Uma viagem ao passado à boleia da JFK Library

 

“JFK” é nome de filme, de documentário, de monumento. Para os… menos crescidos, é uma figura que faz parte da história, sem estar demasiado próxima de nós. Afinal, o seu assassinato ocorreu há mais de 50 anos. Por isso mesmo, e apesar de saber da existência de uma biblioteca-museu em seu nome, e de ter alguma curiosidade, nunca pensei seriamente fazer o desvio – estando em Boston – para ir até lá.Átrio envidraçado da JFK library

Os americanos têm esta tradição de ter uma biblioteca-museu em homenagem aos seus antigos presidentes, que começou após a presidência de Hoover (1929-1933). A mais recente já inaugurada é a de George W. Bush, no Texas – a de Obama deverá abrir ao público em Chicago, em 2020.


Além de funcionarem como arquivo para os documentos e coleções presidenciais, estas bibliotecas têm também uma componente museológica, com exposições sobre o período em que o presidente serviu como tal e, muitas vezes, sobre a vida do próprio presidente.

 

É o caso da JFK Library and Museum, erguida em Columbia Point (Boston). Para nós, foi uma surpresa. Sendo a terceira vez que visitávamos Boston, queríamos voltar aos nossos locais preferidos, claro (olá Fenway Park), mas também explorar zonas onde não tínhamos ido até então. A biblioteca fica em South Boston, ao pé do campus da University of Massachusetts, e um bocadinho “fora de mão” do percurso habitual do turista que visita a cidade e se limita ao centro, Cambridge e, eventualmente, Charlestown.

 

Aliás, esse tinha sido o principal impedimento para não termos visitado a zona antes: a viagem ao longo de quatro estações de metro, mais o shuttle gratuito, pareciam demorar demasiado tempo para o que a biblioteca nos ofereceria. Não podíamos estar mais enganados. Primeiro, porque a viagem se faz num instante; depois, porque mesmo que fosse muito mais longe, valeria a pena a visita.

JFK Library and Museum

O edifício em que está alojada não é espetacular, e apesar de eventualmente ter sido erguido num estilo que pretende ligar o intemporal com o contemporâneo, mostra o sinal dos tempos – foi inaugurado em 1979. Isso, no entanto, não é impedimento para se apreciar a arquitetura que contrasta enormemente, no bom sentido, contra a baía de Boston que tem como pano de fundo. Se não fosse por mais nada, já valia o passeio para ver a cidade de outra perspetiva.

 

Mas o verdadeiro encanto está lá dentro, e não é no caldo verde (Portuguese kale soup with linguiça) que servem ao almoço no café. Não façam como nós, que pensámos ver a exposição numa hora. Acabámos por passar lá quase 3h, e provavelmente poderíamos ter ficado mais.


Em dois pisos, somos levados a conhecer a história do miúdo John, do Massachusetts, que se torna jornalista e só depois entra na política, das várias campanhas, para a Câmara dos Representantes e depois para o Senado, e eventualmente para a presidência. E depois entramos naquilo que nos absorve, numa exposição intemporal que fala da crise dos mísseis de Cuba e da conquista do Espaço, mas também do presente norte-americano na altura, da relação com Martin Luther King (que já conhecíamos, depois da nossa passagem por Atlanta) ou da figura de Jacqueline Kennedy.

Pormenor do museu

Discurso da Tomada de Posse

Que nos põe a assistir a conferências de imprensa dos anos 60 durante largos minutos, e nos faz perceber por que é que o antigo presidente é descrito por tantos como um homem cativante, destinado para o cargo. Ao mesmo tempo, vamos apanhando pormenores familiares deliciosos – afinal esta biblioteca tem uma enorme influência, na sua génese e organização, da sua família.


Por mais americanizada que a visita seja – e não tenhamos dúvidas que o é, como em quase tudo o que é feito naquele país e fala de política – cumpre o seu propósito: é um local de educação e partilha e pensamento.

 

Praticalidades
Preço do bilhete: 14 dólares
Horário: 9h – 17h (o último filme introdutório começa às 15h55)
Como chegar: linha vermelha até JFK/UMASS e shuttle (gratuito) #2